Receba todas as novidades Vip's

Transformar a Educação!

Transformar a Educação!
Estamos Reinventando a Educação.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Finanças pessoais versus Finanças Empresariais

Após vários anos de consultoria, um grande problema observado, é que muitos empresários e até empreendedores misturam as finanças pessoais com as finanças da empresa.

Muitos pegam o dinheiro do caixa da empresa, e sem um controle específico, usa para quitar contas pessoais ou da família. Tal ação, muitas vezes deixa a empresa, no fim do mês, no vermelho, e um cem numero de vezes, o empresario não sabe o que aconteceu com o caixa e por que as finanças estão no vermelho.

Este mal habito faz com que uma bola de neve se forme e, em pouco tempo a empresa entra em crise e em um endividamento fazendo com que a empresa se torne insolvente.

Então qual seria  o melhor caminho para gerir o caixa da empresa, uma vez que o empreendedor/empresário teria apenas a  remuneração da própria empresa? 

As finanças de uma empresa passa por diversas fases. Estas fases, se executadas da forma correta podem levar à estabilidade ideal e ao retorno que tanto se espera. Segue a seguir entre tantas fases quatro que considero fundamentais para qualquer negócio.

  1. Iniciar o negócio com capital de giro: É a etapa aonde a empresa tem seu plano financeiro definido, e sabe seu custo fixo logo após a abertura e tem, por determinado tempo, o valor para manter o negócio mesmo que não venda nada. Nesta fase o empreendedor/ empresário define um valor de suas despesas pessoais e já inclui como retirada mensal a titulo de pró-labore.
  2. Abrir o empreendimento paralelo ao seu emprego atual: É quando o empreendedor/empresário inicia o empreendimento sem sair de seu emprego atual. Nesta fase o suas despesas são cobertas pelo salário mensal que recebe de seu emprego, e não faz qualquer retirada do seu negócio nascente, e assim quando for necessário e quando o negócio estiver mais sólido se desvincula de seu emprego dedicando somente ao seu negócio.
  3. Entrar no negócio e com seu trabalho adquirir cotas da empresa: É quando o profissional aceita trabalhar por um tempo sem salário, mas enquanto isto e como troca, adquire parte da empresa, ou seja, se torna sócio dentro de um percentual pré estabelecidos por demais sócios. 
  4. Possibilidade e distribuição de lucros e dividendos: Nesta fase, a organização já está madura, e sua vida financeira já é bem saudável, e neste ponto alem de cobrir todas as despesas e custos, ela já pode distribuir parte do lucro adquirido. Tal politica de distribuição é previamente acordada entre os sócios e consta no seu plano de negócios.

Em qual fase seu negócio se encontra? 
Você separa corretamente suas finanças pessoais das finanças da organização?

Saiba que os controles gerenciais bem aplicados principalmente em tempos de crise são fundamentais para que possa se ter o devido sucesso a fim de que sua empresa seja uma empresa duradoura!

Qualquer dúvida procure um especialista para lhe ajudar a superar as dificuldade dos tempos de crise. 

Eduardo Carolino.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários: